Brasil e os problemas com redirecionamento de fluidos

No Brasil, a situação de saneamento básico, distribuição e acesso de água para a população e o tratamento e coleta de esgoto está longe de ser considerada boa. Apesar dos investimentos do governo nos últimos anos visando melhorar essa situação, nosso país apresenta dados alarmantes. Em pleno 2016, ainda existe um desperdício de 37% da água tratada em terras brasileiras. Ou seja, mais de 8 bilhões de reais são perdidos todos os anos, seja por vazamentos, instalações hidráulicas mal feitas, roubo ou ligações clandestinas. Esse dado se torna ainda mais chocante quando combinamos com o fato de que 13% dos recursos hídricos superficiais do planeta estão situados em terras brasileiras.

Apesar da região Sul ser considerada umas das mais desenvolvidas do país, o Rio Grande do Sul não foge tanto do padrão: em nosso Estado, 15% da população não tem acesso a rede de água, o tratamento de esgoto abrange apenas 16% dos gaúchos e as perdas de água chegam a preocupante 33%.

Porém, para resolver os problemas de nosso país com relação aos recursos hídricos discutidos, o governo teria de investir cerca de R$ 508 bilhões num prazo de 20 anos, um investimento difícil de ser realizado.